segunda-feira, 24 de novembro de 2008

CAPÍTULO QUATRO



Quando entravam no apartamento, Katy carregou o agente Paul até o quarto. Katy, não agüentando o silêncio que pairava no ar, começou a falar:
- Agente Williams, você é alérgico e algum medicamento? – perguntou Katy preocupada.
- Até o momento, não; Katy, eu não sinto o meu braço, vá ao banheiro e pegue algumas toalhas e na cozinha uma vasilha com água quente, por favor... – pediu Paul.
- Sim, eu vou buscar.
Katy pegou várias toalhas e uma vasilha com álcool e água. Quando chegou no quarto, encontrou o agente Williams rasgando a camisa de seda marrom que usava. Paul viu Katy com o que ele havia pedido, e falou para que ela entrasse no quarto:
- Por favor, Katy, venha me ajudar – pediu o agente Williams. – Termine de tirar a minha camisa, sim?
Katy ficou sem saber o que fazer, mas, seu espírito de bom senso falou mais alto, então foi ajudá-lo.
- Claro! Tome cuidado com o ferimento – a agente Simon levantou a barra da sua calça de linho azul marinho e retirou uma faca que trazia amarrada na perna. – Eu vou ter que cortar sua camisa.
- Tudo bem, não tem problema – comentou pensando se não haveria mais surpresas por parte de Katy. – Aonde você carrega mais armas, além das pernas, senhorita Katy Simon? -perguntou Paul, sorridente.
- Bem, eu carrego uma Colt na bolsa, essa faca na perna e um 45 reforçado na cintura – respondeu Katy brincando. – Agora agüente firme por que vai doer um pouco.
E Katy cortou a manga da camisa onde estava o ferimento.
Paul Williams gemeu de tanta dor; querendo agarrar-se em alguma coisa para se apoiar contra seu sofrimento, ele pegou o braço de Katy, que se desequilibrou e caiu sobre ele.
- O quê você está fazendo? – perguntou Katy, se debatendo sobre Paul. – Está maluco?! O ferimento do seu braço vai abrir se não parar de me apertar
- Estou fazendo o que você está vendo, Katy – respondeu. -E eu não estou maluco, estou ardendo de desejo por você.
- Vejo que além de ferido, você está delirando, agente Williams. – falou Katy, apavorada com a força que tinha aquele homem.
A luta de Katy foi em vão; não se passaram nem dez segundos e ela não quis mais se debater. Uma onda de desejo foi tomando posse de seu corpo, e Katy não conseguia se controlar.
Sentindo que ela desejava com a mesma intensidade, o agente Williams puxou para si com seu braço ainda ferido os fartos cabelos escuros de Katy, fazendo com que seus lábios se encontrassem num beijo misturado de dor, desejo e voracidade.
Katy tentava empurrá-lo, mais seu desejo a traía, suas mãos sumiam, por entre os pêlos do peito musculoso do Paul, provocando carícias deliciosas. Ela não esperava que suas respostas às carícias insinuantes de Paul iriam ser tão rápidas.
Já ia desabotoar a blusa de viscose branca de Katy, quando ele se deu conta de que estava prestes a cometer uma loucura.
Como ela não conseguia soltar-se dos fortes braços de Paul foi obrigada a apertar um local próximo ao ferimento dele, que no mesmo instante a largou. Katy depois de se recompor, falou finalmente com ele:
- Agente Paul Williams, espero que isso não aconteça novamente, e, vejo que o seu ferimento já melhorou, espero também, encontrá-lo amanhã às oito horas no prédio da Agência Central, para começarmos a nossa investigação e... passar bem! – despediu-se saindo do quarto com a respiração ainda ofegante.
- Passar bem, Katy. “Ainda chegará nosso momento...” – pensou.
No caminho para o trabalho, Katy acelerou tanto a sua moto que nem percebeu que tinha ultrapassado quarto sinais vermelhos, causando grande confusão no trânsito.
Quando chegou no prédio, Katy não prestava atenção em nada e em ninguém, só queria conversar com seu pai.
Procurou na sala de reuniões, onde só encontrou o agente Peter. Katy, já cansada de procurar seu pai por todo o prédio perguntou aonde o Inspetor estava:
- Por favor, Peter, diga-me onde está o inspetor?
- Ele está em seu escritório como sempre, agente Simon – falou Peter estranhando o comportamento de Katy, pois todos sabiam que o Inspetor Lucas nunca saía de seu escritório. – Ele está conversando não sei com quem...
- Obrigada! – agradeceu Katy.
Dirigiu-se para o escritório de seu pai. Chegando, entrou sem bater na porta de vidro escuro.
Katy percebeu que seu pai a esperava, e que ele não estava sozinho:
- Olá! Agente Simon, espero que o meu filho tenha sido gentil com a senhorita – falou Jonas.
- Olha, Sr. Jonas, o seu filho se comportou muito bem, depois ele lhe dirá tudo – falou Katy um pouco surpresa com o comentário dele. – Olá, papai, se não for incômodo, eu gostaria de conversar com o senhor, em particular.
- Deixem-me ir embora que eu acho que chegou a minha hora, não é mesmo?! – perguntou Jonas bem humorado. – Depois nós voltamos a pôr nossa conversa em dia Lucas, tchau.
- Tudo bem, Jonas até logo – despediu-se o inspetor.
O inspetor Lucas sentiu que Katy estava nervosa. Nunca ele tinha a visto deste jeito.
Enquanto o inspetor arrumava seus papéis, Katy começou a falar:
- Inspetor Lucas, gostaria de saber, o por quê dessa brincadeira sem graça, que o senhor me fez passar – falava Katy, tentando se controlar.
- Ora, ora, Katy, uma brincadeira, duas brincadeiras, que mal há nisso? Perguntou o Inspetor, se segurando pra não gargalhar.
- Papai, por que você não me falou que ele era novo e que vinha acompanhado do pai? – perguntou Katy. – Eu tive que levar o agente Williams até o hotel, enquanto o pai dele alugava um carro para ir paquerar garotas, por Deus, Inspetor Lucas, eu quase desmaio de susto ao ver dois homens, em vez de um indo em minha direção lá no aeroporto!
- Você gostou dele? - perguntou o Inspetor, com os olhos fixos na filha.
- Do que você está falando, inspetor Lucas? – perguntou Katy nervosa.
- É que nunca a vi desse jeito, nervosa, brigando comigo por causa de uma simples brincadeira - respondeu o inspetor, acertando em cheio a consciência de Katy.
Katy não sabia como disfarçar a atração que estava sentindo pelo agente Paul Williams, seu corpo estremecia quando se lembrava do beijo e das carícias que trocaram no hotel.
- Katy, Katy!!! – chamava o Inspetor Lucas, tentando despertá–la de seus pensamentos.
- Não se preocupe comigo papai – falou Katy, confusa. – Por falar em brincadeiras, no caminho do aeroporto até o hotel, eu e o agente Williams fomos perseguidos por atiradores.
- Como foi isso, Katy? Perguntou o Inspetor, agora mais sério do que nunca. – Eles atingiram alguém?
- Eu acho que eles fazem parte da mesma quadrilha de traficantes que eu e o agente Williams iremos investigar – falou Katy. – O agente Williams foi atingindo no braço esquerdo, mas já deve estar melhor, foi um tiro de raspão.
- Puta que pariu, esses bandidos não estão brincando! Katy eu quero que você investigue esse caso com muita cautela, certo? – pediu o inspetor, preocupado com a filha. – Depois, quero que faça uma visita ao agente Williams ainda essa noite.
- Mas, eu acabei de vim do hotel, não sei por que é necessário que eu vá novamente para lá – falava Katy.
- Isto são ordens, agente Simon – declarou o inspetor. – Isto não vai fazer mal a ninguém, ou vai?
- Sim, senhor, inspetor, à noite irei visitá-lo – consentiu Katy.
Ela não esperava que seu próprio pai a jogasse bem na arena do “guerreiro insaciável”; mandar que vá visitar aquele “maníaco sexual”. Mas, Katy estava preocupada com o ferimento dele, por isso... talvez, iria vê-lo.

6 comentários:

Ana Gabi disse...

aquele “maníaco sexual”, hehe!

O pai dela ta até querendo ajudar gente!
To bege!

HIP HOP MULHER disse...

acho que ele quer desencalhar a filha..hahahahahahahaha

Balinha de Menta disse...

Gostei muito da história da Agente Simon e do Agente Paul. só que não tinha mais nada para eu ler hoje...o quê mais vai acontecer?
espero o próximo capítulo.
Bjs, Balinha.

Trujillo disse...

Aiaia.... estou muito curioso. O que acontecera a seguir??

PequenAprendiz disse...

Olá!
Vim agradecer os seus comentários no meu blog e por me acompanhar também.

Hummm... que história interessante.
Fiquei curiosa pra saber como será a noite dos dois! haha

Beijo meu!

Nike disse...

Hummm.... me imaginei no lugar dela hehehehe... Mas eu não correria desse homem rs!
Bobinha essa Katy...
Estou acompanhando e adorando essa história!!!
Bjks