segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

CAPÍTULO DEZ





Paul chegou ao hotel quarenta minutos depois. Estava cansado, e decidiu não acordar o pai que já deveria estar dormindo.
Quando Paul chegou a seu apartamento, não quis nem saber de comer, foi direto para o chuveiro (relaxar) um pouco, seu corpo inteiro estava cansado de se arrastar por entre entulhos, baratas, ratos e...Deus lá sabe mais o quê!
Enquanto Paulo tomava o seu banho, seus pensamentos eram visitados pelas imagens dos beijos de Katy. Não agüentando mais ser envolvido pelas fantasias produzidas pela sua mente muito fértil por sinal, ele fechou a torneira do chuveiro, vestiu o roupão com o corpo completamente molhado e foi dormir para tranqüilizar a cabeça.
Jogando-se na cama com o corpo ainda um pouco molhado, Paul se lembrou do dia e que tinha chegado a Miami, no beijo que roubara de katy e em tudo o que lhe tinha acontecido nesses últimos dias.
Até que o bendito telefone interromper seus pensamentos, e Paul, um pouco sonolento, tentava achar com a mão esquerda o aparelho em cima do criado-mudo:
- Alô, o que você quer?! – perguntou Paul, entre um bocejo e outro.
- Aqui é o inspetor Lucas, agente Williams – respondeu secamente.
Como um gato, Paul pulou de sua cama e ficou sentado ao lado do criado-mudo, já estava despertado e, curioso, perguntou o que se passava:
- Algum problema?! Inspetor, aconteceu alguma coisa com a agente Simon?! – perguntou Paul, preocupado.
- Não aconteceu nada com a minha filha, agente Williams, ela deve estar dormindo neste momento. É o que os corpos que nós salvamos da destruição, lá na construção, um dos corpos era do Sandro e o outro era de um soro-positivo chamado Luke Hurt – falou o inspetor, seriamente.
- Isso quer dizer que um deles escapou e não encontraram mais nenhum presunto? – falou Paul, olhando a vista noturna de Miami pela janela do apartamento.
- Exatamente, agente Williams. Agora você tem mais um para se confrontar amanhã, tchau – despediu-se o inspetor, desligando o telefone.
- Tchau...- falou Paul, devolvendo o fone ao gancho, e começando a pensar na batida que estava para ser realizada.
Não demorou alguns minutos, e Paul começou a dormir...finalmente.
As horas se passavam, e a noite em Miami era, como sempre, agitada e barulhenta:
Sirenes, prisões, prostitutas; E Katy rolava em sua cama, a insônia não a deixava dormir. Tinha cochilado por alguns minutos, mas dormir estava impossível.
Não agüentando mais ficar deitada, Katy foi até a cozinha ver se achava alguma coisa que a fizesse dormir.
Pegou leite na geladeira e preparou um copo no microondas transbordando chocolate quente . Até queimou as mãos enquanto segurava o copo, xingando a mãe de quem fabricou o chocolate em pó.
Katy bebeu o chocolate, que desceu queimando até seu estômago.
Depois, Katy seguiu novamente para seu quarto, deitou-se, e esperou com que o sono viesse visitá-la:
- Espero que agora...eu durma, senão amanhã...quero dizer, HOJE meu dia de trabalho irá ser péssimo! Nossa...já são duas da madrugada! – falou katy, sozinha até começar a cochilar.
Deram três, quatro, cinco, sete, dez horas da manhã, e Katy ainda dormia.

10 comentários:

DEUSA PAGÃ disse...

E lá vamos nós!!!!!

Ananias Duarte disse...

" Espero que agora...eu durma, se não amanhã,... o meu dia de trabalho irá ser péssimo"

não seria ... senão?
bjs

ILHA DE LESBOS disse...

UAU!!!! ...JÁ ESTAMOS NO CAPÍTULO 10!!!
PARABÉNS....

Bala Salgada disse...

Corpos salvos da destruição? Beijos da Katy, hum capítulo quente, pegando fogo! Rs...beijos!

SOU! MAS...QUEM NÃO É?! disse...

eba!

ROSEANE RIBEIRO ARÉVALO disse...

Vou começar a ler seu romance.
bjs

HIP HOP MULHER disse...

POST NOVO!
8 DE MARÇO.

Honestino Afonso Xavier disse...

parabéns pelo blogger..

quando der visite o meu

deixe recados..

abraços

Glaukitos disse...

ooooiii
obrigado pelo meme.
Já postei por lá.
tenha um ótimo FDS.
^^

Prix disse...

Demora para acontecer um novo encontro dos dois.. rs
Aguardando o próximo capítulo!

Até!
=]